Como lidar com as notas?

Como lidar com as notas?

Chegou o final do primeiro trimestre letivo de 2022, e com ele as escolas disponibilizam o temido boletim.

Esse registro do desempenho do aluno é um dos importantes elos entre a escola e a família
Quando o filho entrega o boletim escolar, muitos pais ficam preocupados, decepcionados ou constrangidos ao se depararem com notas abaixo da média. Essa preocupação é normal, afinal, os pais querem o melhor para seus filhos. E isto inclui um desempenho escolar satisfatório. No entanto, essa avaliação é um processo de muitos fatores, que vai além da absorção de conteúdos e reprodução em trabalhos e provas escolares, podendo revelar muito sobre o perfil e personalidade do aluno.

E qual pode ser a origem dos problemas com as notas?

Ao interpretar o boletim, um bom caminho é considerar os aspectos e características individuais do estudante, já que o mau desempenho acadêmico pode ter a raiz em outros problemas, que não estejam somente relacionados a uma dificuldade pontual em aprender o conteúdo. Veja alguns exemplos:

✅ Conversas durante a explicação – a interação com os colegas durante a aula pode atrapalhar no momento de realizar os exercícios e no entendimento da matéria.

✅ O aluno deseja ser notado pelos pais – tanto o bom quanto o mau desempenho escolar pode estar associado à busca pela atenção da família,um fator que não tem relação com problemas de aprendizado.

✅ Questões socioemocionais – muitas vezes, a depressão, a ansiedade ou mesmo a timidez, contribuem para que o aluno duvide de sua capacidade, criando uma barreira no momento de aprender.

✅ Dificuldades com a metodologia – nem todos os alunos aprendem da mesma maneira e isso pode ser um fator que dificulte a adaptação com a didática do professor ou a instituição de ensino, gerando uma baixa motivação (confira o post que fizemos sobre desmotivação: https://bit.ly/3rRiFSx)

✅ Déficit de atenção, dislexia e autismo, entre outros – estudantes com essas necessidades especiais têm formas diferentes de aprendizado, podendo gerar dificuldades em uma ou mais matérias.

Acompanhando com frequência o desempenho do seu filho, fica mais fácil entender a sua evolução e os pontos a serem trabalhados – vai além do que julgar apenas se a nota é “azul” ou “vermelha”. Por exemplo, um aluno que sempre tirava 2 passa a tirar um 4 em Matemática. Enquanto o pai pode ficar decepcionado, nota-se que, na verdade, a nota dobrou em valor. Embora ainda haja dificuldades, há uma melhora aí que deve ser reconhecida para que os ganhos não sejam perdidos e o estudante não se desmotive totalmente. 

Para uma compreensão mais completa do boletim escolar, é importante olhar cada componente da nota, como trabalhos em grupo, participação em classe e avaliação nas provas. É importante lembrar que, o desempenho escolar é multifatorial.

Após essas etapas, considere a evolução das últimas notas e faça comparações entre elas. Essa é uma maneira de identificar em quais áreas o aluno apresenta facilidade ou dificuldade. Sempre olhe para (1) o que mudou de um período para outro que poderia justificar o aumento, a diminuição ou mesmo a manutenção de uma nota e (2) o que as matérias com notas semelhantes têm em comum. Isso ajuda a construir uma noção mais completa do perfil do estudante.

Mas como incentivar meu filho a gostar de estudar e melhorar seu desempenho escolar?

É essencial que haja diálogo sobre as dificuldades escolares para que, assim, possa ser criada uma rotina de estudo. Isso não significa que o aluno deva se matar de estudar! Com método de estudo (veja mais em: https://bit.ly/3vNPdhw), fica mais fácil descobrir estratégias que sejam eficientes para ele.

Estudar pode ser muito mais agradável e proveitoso! 📝😉

Gostou do conteúdo? Compartilhe com quem possa se interessar.

Deixe uma resposta