Quais são os indícios de que o aluno está desmotivado?

Quais são os indícios de que o aluno está desmotivado?

Tanto na rotina quanto no processo de aprendizagem, a motivação tem um papel importante  no envolvimento do estudante nos estudos.

Diferente do que diz o conhecimento comum, a motivação não vem de dentro – é fruto da nossa interação com o ambiente. Precisa de um motivo para que a gente se comporte de determinada forma, pois é a motivação que torna a consequência de um comportamento importante para gente.

Por exemplo: ao acabarmos de almoçar, nossa motivação para o comportamento de comer mais naquele momento provavelmente estará mais baixa e a comida terá menos valor para nós. Por outro lado, se estivermos morrendo de fome, o valor da comida e consequentemente a nossa motivação para comer aumentarão muito!
Esse último exemplo é menos complexo que a motivação para estudar, mas o princípio básico que rege a nossa motivação para o estudo é o mesmo. Quer ver?

Às vezes a motivação está ligada em evitar punições e outras consequências negativas. Por exemplo, se a principal preocupação é não tirar 0 em uma prova e evitar bronca dos pais e professores, vamos estudar com uma certa ansiedade de evitar essas consequências negativas ao invés de estudarmos para testarmos o nosso conhecimento e aprendermos com isso.

Se o conhecimento for algo ativamente valorizado no nosso meio social e/ou tiver uma função prática e imediata na nossa vida, teremos mais motivação para o estudo, já que esse comportamento produzirá consequências positivas na nossa vida. Se imagine estudando um idioma que você vai falar ao visitar um país que sempre quis conhecer. Agora, como seria se tivesse que estudar um idioma que você não se vê falando nunca?

É bastante comum os alunos falarem “por que preciso saber disso para a vida?”. Muitas vezes, essa relação não está clara para os alunos, e a função daquele conteúdo pode nunca parecer útil ou só terá importância depois de muitos anos. Adolescentes ainda não desenvolveram todas as funções executivas de um adulto e, portanto, ainda têm dificuldade de agir sob controle das consequências a longo prazo. Precisam de algo mais imediato para manter um comportamento novo, como o de fazer lição. Por conta disso, existe a tendência de serem usados outros motivadores na escola, como: elogios, notas, reconhecimento dos professores e pais, afetando diretamente na motivação do aluno. Mas como identificar se essas consequências estão sendo efetivas?É fácil identificar um aluno que esteja efetivamente motivado. Além de interagir, ele busca o novo e tem necessidade de estar à frente de tarefas, projetos e ações. Na contramão desses comportamentos, os estudantes desmotivados apresentam alguns indícios que devem ser detectados e abordados o quanto antes.


A desmotivação do aluno pode estar ligada a vários fatores. Confira👇

✅ Com a escola
🎯 Problemas sociais, com os amigos ou professores
🎯 Estresse/cansaço por pressão e número excessivo de atividades
🎯 Pode também haver pressão social dos colegas de que estudar é coisa de “nerd”

✅ Com a lição
🎯 Esquece que tem tarefa – concorrência de outras atividades mais interessantes que o estudo, falta de rotina e organização
🎯 Esconde que tem tarefas ou mente que já fez – concorrência com outras atividades e/ou não sabe lidar com as dificuldades do estudo 
🎯 Faz a lição, mas de forma muito rápida, sem qualidade – pode ser que o aluno só faça para se livrar, para evitar alguma bronca; às vezes a escola só dá visto para a lição feita e não dá importância para a qualidade, (o aluno aprende que a qualidade das respostas não importa no momento e não têm noção de que a lição pode ajudar com a aprendizagem do conteúdo). Fazer de qualquer jeito, bem rápido, também pode ser uma forma de fugir das dificuldades que surgem na hora da lição

✅ Com o conhecimento
🎯 Não conta o que aprendeu na sala de aula – pode ser que não preste atenção porque não vê função naquilo, ou ainda que na família não há uma valorização do conhecimento (há mais ênfase em notas apenas)
🎯 Não vê como conhecimento vai ajudá-lo na vida e por isso não quer investir nos estudos do que não o interessa

É fundamental que a família acompanhe de perto esses sinais e colabore para que o aluno entenda o quão importante é a educação para a sua vida.

Gostou do conteúdo? Compartilhe com quem possa se interessar.

Deixe uma resposta