Primeiras notas baixas e agora?

Primeiras notas baixas e agora?

Uma nota baixa  é motivo de apreensão dos alunos, mas também provoca ansiedade nos pais que não sabem, muitas vezes, como reagir adequadamente ao problema. (Acessando https://bit.ly/3PEfA2m, você aprende a interpretar o boletim escolar).

Mas qual é realmente a hora certa para se preocupar com a questão da nota baixa? 🤔 🚨

É muito importante para os pais procurarem, juntamente aos filhos, compreender o que levou a esse mau resultado e que, no caso do aparecimento das primeiras notas baixas, o contexto seja analisado de forma equilibrada, não se esquecendo, jamais, que educação é um processo. Nesse ponto, é importante considerar todos os aspectos envolvidos e responder a algumas questões, como:

🎯 A preparação para a prova foi feita de forma adequada?
🎯 No momento da avaliação, o aluno estava tranquilo?
🎯 A prova foi mais difícil do que o aluno esperava?
🎯 O aluno compreendeu os erros que cometeu quando o professor corrigiu a prova?
🎯 Qual o posicionamento do professor com o resultado individual e coletivo?

É comum, ao longo do Fundamental II e do Ensino Médio, que as escolas passem a exigir mais autonomia de seus alunos. Infelizmente, nem todos os alunos aprenderam, até este momento, como se organizarem perante as novas e maiores demandas acadêmicas, o que pode produzir esses escorregões nas notas.  Confira algumas dicas para adotar um método de estudo eficiente, acessando: https://bit.ly/3PH8Aln

Em alguns momentos, as notas baixas deixam de ser pontuais e viram um padrão. Quando isso acontece, é preciso checar se é uma dificuldade em uma matéria específica, limitando o aprendizado de conteúdos mais avançados. Muitas vezes, esses casos são resolvidos por aulas particulares focadas em sanar essas dificuldades do aluno.

E quando a nota baixa pode realmente ser classificada como um sinal de alerta para um problema maior?

Diferente do caso em que há dificuldade com um conteúdo específico, há situações em que a nota baixa é o reflexo de um desalinhamento entre a demanda da escola e as habilidades de estudo do aluno, afetando algumas aptidões, como:

✅ Organização
✅ Planejamento
✅ Execução de tarefas
✅ Interpretação de texto
✅ Elaboração de respostas completas

É comum vermos uma alteração na motivação do aluno conforme ele for tentando se virar com as ferramentas disponíveis e continuar tendo insucesso.

O ideal é olhar atentamente aos comportamentos do aluno (não apenas as notas), assim será possível prever se as habilidades dele estarão de acordo com o aumento futuro de demanda da escola. Por isso, a relação entre a família e a escola deve ser construída por meio de um diálogo transparente. Estabelecendo um trabalho preventivo, antes que a frustração frequente com experiência de insucesso acabe por desmotivar totalmente o estudante.

Para isso, se faz necessário um acompanhamento mais cuidadoso, profissional  e focado na redefinição de estratégias de ajuda ao estudante, de forma que deixe bem claro que o sucesso depende do cumprimento das responsabilidades que lhe cabem dentro do processo de aprendizagem.

Gostou do conteúdo? Compartilhe com quem possa se interessar. 🤩

Deixe uma resposta